Antibioticos para sinutite: como tomar e efeitos colaterais


Os antibióticos para sinusite, como a amoxicilina, a axetilcefuroxima ou o levofloxacino, podem ser indicados pelo médico nos casos de sinusite bacteriana aguda ou crônica, pois ajudam a eliminar as bactérias, aliviando a inflamação dos seios nasais.

A sinusite bacteriana é a inflamação dos seios nasais causadas por bactérias, causando sintomas como congestão nasal, catarro verde, febre, dor de cabeça, dor ao redor dos olhos e sensação de peso no rosto, por exemplo. Saiba identificar os sintomas da sinusite.  

O tratamento com antibióticos deve ser feito com indicação do otorrinolaringologista, pelo tempo de tratamento estabelecido pelo médico, que geralmente varia de 5 a 14 dias, dependendo da gravidade da infecção e da resposta ao antibiótico.

Imagem ilustrativa número 1

Principais antibióticos para sinusite

Os principais antibióticos para sinusite que podem ser indicados pelo médico são:

1. Amoxicilina

A amoxicilina ou amoxicilina + clavulanato geralmente é a primeira opção de tratamento para a sinusite bacteriana, em pessoas que não possuem alergia às penicilinas, pois é capaz de eliminar as bactérias mais comuns causadoras da sinusite bacteriana, como Streptococcus pneumoniae ou Haemophilus influenzae.

Como usar: a dose normalmente recomendada da amoxicilina para adultos é de 500 mg via oral, 3 vezes ao dia, ou 875 mg, 2 vezes ao dia, por 5 a 10 dias de tratamento. 

Já no caso da amoxicilina + clavulanato, as doses recomendadas para adultos ou crianças acima de 12 anos, é de 1 comprimido de amoxicilina 500 mg + clavulanato 125 mg, de 8 em 8 horas, ou 1 comprimido de amoxicilina 875 + clavulanato 125 mg, de 12 em 12 horas, conforme orientado pelo médico. Saiba como tomar a amoxicilina + clavulanato.  

2. Claritromicina

A claritromicina é um antibiótico da classe dos macrolídeos, normalmente indicado com primeira opção para pessoas alérgicas às penicilinas, pois é capaz de eliminar bactérias, como Streptococcus pneumoniae, Haemophilus influenzae e Moraxella catarrhalis, causadoras da sinusite bacteriana.

Como usar: a dose normalmente recomendada para adultos é de 1 comprimido de 250 mg, ou 1 comprimido de 500 mg, a cada 12 horas, conforme orientado pelo médico. Veja como tomar a claritromicina corretamente.  

3. Axetilcefuroxima 

A axetilcefuroxima é um antibiótico da classe das cefalosporinas, indicada para eliminar bactérias como S. pneumoniae H. influenzae, ajudando a aliviar os sintomas da sinusite bacteriana.

Como usar: a dose normalmente recomendada para adultos é de 1 comprimido de 250 mg de axetilcefuroxima, de 12 em 12 horas. Para crianças de 3 meses a 12 anos de idade, deve-se utilizar a suspensão oral de axetilcefuroxima e as doses devem ser calculadas pelo pediatra de acordo com o peso corporal da criança.

4. Doxiciclina

A doxiciclina é um antibiótico da classe das tetraciclinas que age interferindo no metabolismo de bactérias, como Moraxella catarrhalis e Haemophilus influenzae, impedindo a sua proliferação, podendo ser indicado para pessoas alérgicas às penicilinas.

Como usar: a dose normalmente recomendada da doxiciclina para adultos é de 100 mg, 2 vezes ao dia ou 200 mg, 1 vez ao dia,  conforme orientação médica. Para crianças com mais de 8 anos as doses devem ser calculadas pelo pediatra, de acordo com o peso da criança. Veja como tomar a doxiciclina.  

5. Clindamicina

A clindamicina é outro antibiótico que pode ser usado por pessoas alérgicas às penicilinas, nos casos de sinusite bacteriana moderada à grave, sendo que em alguns casos pode ser associada à outro antibiótico, a cefixima, para ajudar a eliminar as bactérias S. pneumoniae resistente e H. influenzae.

Como usar: a dose da clindamicina recomendada para adultos é de 300 mg, 3 vezes por dia, conforme orientado pelo médico.  

6. Moxifloxacino

O moxifloxacino é um antibiótico da classe das fluorquinolonas, indicado para sinusite bacteriana aguda, inibir enzimas das bactérias, impedindo sua multiplicação e causando sua morte, aliviando os sintomas da infecção.

Como usar: a dose recomendada para adultos é de 1 comprimido de 400 mg, uma vez ao dia, por 7 dias de tratamento, ou conforme orientado pelo médico. O moxifloxacino não deve ser usado por crianças.

7. Levofloxacino

O levofloxacino é outro antibiótico da classe das fluorquinolonas, que pode ser usado por pessoas alérgicas às penicilinas, pois ajuda a eliminar as bactérias causadoras da sinusite bacteriana aguda, como Streptococcus pneumoniae, Haemophilus influenza e Moraxella catarrhalis.

No entanto, tanto o levofloxacino como o moxifloxacino, devem ser usados somente quando outras opções de tratamento não são indicadas, devido ao risco aumentado de efeitos colaterais. 

Como usar: a dose normalmente recomendada para adultos é de 500 mg a 750 mg de levofloxacino, 1 vez por dia, por 5 dias de tratamento, ou conforme orientado pelo médico.

8. Metronidazol

O metronidazol é um antibiótico que pode ser usado junto com outros antibióticos, como a amoxicilina ou clindamicina, para a sinusite bacteriana em pessoas que apresentem catarro com pus e cheiro fétido, ou formação de abscessos, de forma a aumentar a cobertura contra bactérias anaeróbias.

Como usar: a dose normalmente recomendada para adultos é de 500 mg, 3 vezes por dia, conforme orientação médica.

Efeitos colaterais dos antibióticos

Os efeitos colaterais mais comuns que podem surgir durante o tratamento com os antibióticos são:

  • Dor de estômago;
  • Diarréia;
  • Náuseas ou vômitos;
  • Má digestão;
  • Sensibilidade à luz;
  • Falta de apetite;
  • Visão embaçada ou borrada;
  • Descoloração dos dentes; 
  • Zumbido no ouvido;
  • Dor de cabeça;
  • Sangue ou muco nas fezes;
  • Infecções fúngicas;
  • Alteração do funcionamento do fígado, rins ou outros órgãos;

Além disso, os antibióticos podem causar reações alérgicas graves ou anafilaxia, que necessitam de atendimento médico imediato. 

Por isso, deve-se interromper o tratamento e procurar o pronto socorro mais próximo ao apresentar sintomas como dificuldade para respirar, sensação de garganta fechada, inchaço na boca, língua ou rosto, formação de bolhas na pele ou urticária. Saiba identificar os sintomas de reação alérgica grave

Quando não usar

Os antibióticos não devem ser usados nos casos de sinusite causada por vírus ou fungos, pois agem apenas sobre bactérias.

Além disso, no caso de crianças, mulheres grávidas ou em amamentação, ou pessoas que tenham problemas ou doenças nos rins ou fígado, por exemplo, devem usar antibióticos somente se recomendado, após avaliação criteriosa.

Outros remédios para sinusite

Além dos antibióticos, o tratamento da sinusite bacteriana pode envolver outros remédios que ajudam a aliviar os sintomas e a inflamação dos seios nasais.

Desta forma, podem ser recomendados pelo médico o uso de analgésicos, corticoides ou descongestionantes nasais, por exemplo. Veja todos os remédios para sinusite.

Além disso, é importante fazer a lavagem nasal com soro fisiológico, pois ajuda a fluidificar as secreções e a eliminar o catarro do nariz e seios nasais.

Assista o video a seguir com o enfermeiro Manuel Reis sobre como fazer a lavagem nasal corretamente:

Cuidados durante o tratamento

Durante o tratamento com os antibióticos para a sinusite  bacteriana, é importante seguir alguns cuidados:

  • Tomar o antibiótico corretamente nas doses e nos horários estabelecidos pelo médico;
  • Não interromper o tratamento por conta própria;
  • Fazer o tratamento pelo tempo correto determinado pelo médico, mesmo que ocorra melhora dos sintomas em alguns dias após o início do uso do antibiótico;
  • Consultar o médico novamente, se não ocorrer melhora dos sintomas após 3 a 4 dias de tratamento;
  • Perguntar ao médico ou ao farmacêutico, se o antibiótico pode ser tomado antes ou após uma refeição, com água ou com leite, para não interferir na eficácia do tratamento.

É importante seguir todas as recomendações médicas durante o uso dos antibióticos, de forma a evitar resistência bacteriana, que pode tornar o tratamento da infecção mais difícil e mais demorado, além de poder causar piora dos sintomas. Veja como evitar a resistência bacteriana.  



Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *